Cidades do mundo todo serão palco de marchas em defesa da liberdade nas ciências e na pesquisa no dia 22 de abril. O Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) é uma das instituições que apoia a Marcha pela Ciência, prevista para acontecer em seis cidades do Brasil: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Petrolina, Pato Branco e Natal. Em Bonn, o evento terá participação da presidente do DAAD, Profa. Margret Wintermantel, da secretária-geral do DAAD, Dorothea Rüland, e diversos outros funcionários da instituição.

“Precisamos renovar a valorização pelas ciências. Suposições ou opiniões precisam ser claramente diferenciadas de descobertas feitas em trabalhos científicos. Inúmeras instituições de pesquisa no mundo todo trabalham diariamente nesse sentido e contribuem com sua parcela para o ganho de conhecimento. As perguntas cruciais do nosso tempo exigem intenso trabalho de cooperação, para além das fronteiras de países. Respostas só podem ser encontradas, se pesquisadoras e pesquisadores do mundo todo puderem pesquisar livremente e cooperar uns com os outros. Se uma pesquisadora ou um pesquisador é individualmente pressionado ou perseguido, somos todos atingidos. Não existe alternativa que substitua a cooperação internacional e por ela precisamos lutar. O DAAD luta por esses princípios há mais de 90 anos e também no futuro vamos nos engajar na busca pelos espaços de liberdade necessários”, afirma a presidente do DAAD, Prof. Margret Wintermantel.

A Marcha pela Ciência é fruto de um movimento global, que em 2017 promoverá 517 marchas em diversos países. Para saber mais, visite o site da organização.