A delegação de reitores de universidades do Norte do Brasil em visita à Alemanha

Parte do desafio de estimular a cooperação acadêmica com a Alemanha em um país vasto como o Brasil é a busca por contemplar as diferentes regiões de forma equilibrada com atividades e projetos. Pensando nisso, o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) voltou seu olhar em 2019 para universidades do Norte do Brasil  e convidou representantes de dez instituições* da região amazônica para uma viagem à Alemanha com o objetivo de fomentar parcerias com instituições alemãs. Na  viagem ocorrida em setembro, o grupo passou por Bonn, Berlim e Stuttgart.

A iniciativa teve como ponto de partida o Programa Nacional de Cooperação Acadêmica na Amazônia - Procad/Amazônia, lançado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES) especialmente para fortalecer a pós-graduação na Região Norte do Brasil e no estado do Maranhão. Na viagem da delegação à Alemanha, o principal critério da busca por novas parcerias ou por reativar cooperações pré-existentes foi o desenvolvimento de novos programas de pós-graduação relevantes para as jovens universidades amazônicas.

Os representantes brasileiros definiram suas prioridades antes mesmo da viagem, realizada entre 9 e 18 de setembro. Na área da biodiversidade e da bioeconomia os esforços deveriam se concentrar em fontes de energia limpa, renovável e produzida localmente; na intensificação do uso das áreas de pastagem existentes; no uso sustentável da floresta tropical; no estudo de plantas medicinais e farmacologia; no manejo de recursos hídricos; na proteção ambiental e no desenvolvimento social da população amazônica. Já no campo das novas tecnologias, os temas de destaque foram a nanotecnologia, matérias-primas e seu processamento, tecnologias da informação, e construção naval e portuária.

Nem todos os assuntos puderam ser contemplados na viagem, mas alguns deles constituíram promissores pontos de contato. Em Bonn, onde foram apresentadas as oportunidades de financiamento do DAAD, os convidados ficaram muito impressionados com o trabalho do Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento (Zentrum für Entwicklungsforschung - ZEF), ligado à Universidade de Bonn, em especial com os estudos em andamento sobre a Amazônia e o programa “One Health and Urban Transformation - identifying risks and developing sustainable solutions”. Outros temas de pesquisa da universidade também despertaram grande interesse: ciências agrícolas tropicais, gestão de recursos, fornecimento de energia para populações indígenas e da floresta, riscos ambientais e segurança humana.

Uma das paradas do grupo em Bonn foi a sede do DAAD

A segunda parada da viagem ocorreu na região de Berlim. Na Universidade Técnica de Berlim, tratou-se de questões relacionadas ao desenvolvimento urbano e à gestão urbana da água. Já no Instituto de Estudos Avançados em Sustentabilidade (IASS) de Potsdam, a delegação foi positivamente impactada pelo projeto sobre as consequências sociais do processo de eletrificação em comunidades indígenas.

Na terceira etapa da viagem, durante o 9º Simpósio Brasil-Alemanha de Desenvolvimento Sustentável, realizado na Universidade de Hohenheim, os representantes brasileiros puderam aprofundar seus interesses específicos. No evento, eles divulgaram suas universidades, abordaram seus planos de cooperação e estabeleceram contato com várias instituições alemãs.

Queimadas na Amazônia entraram na pauta da viagem
Dada a situação de crise na Amazônia causada pelas queimadas em grande escala em 2019, a jornada da delegação, além do cunho acadêmico, adquiriu uma dimensão política. Isso ficou claro tanto no encontro da delegação com deputados do Parlamento Alemão, quanto na visita ao Ministério para Cooperação e Desenvolvimento da Alemanha (BMZ). Em ambas as ocasiões, os reitores promoveram suas instituições como fatores fundamentais para o desenvolvimento da região, pois elas contribuem diretamente para a redução da pobreza, bem como para a modelagem e implementação do manejo sustentável da floresta amazônica.

Os interesses de cooperação da Amazônia continuaram em discussão entre os reitores após o retorno ao Brasil, inclusive no grupo criado numa rede social no contexto da viagem a convite do DAAD. Uma das iniciativas coletivas que se seguiram foi a redação de uma carta aberta à CAPES e ao Ministério da Educação do Brasil, apontando demandas específicas da região amazônica. Assim, a jornada da delegação brasileira não apenas contribuiu para tornar a imagem da Amazônia mais tangível e realista para as universidades alemãs, como deu novos estímulos à cooperação entre as próprias instituições da região. Fortalecendo o senso de comunidade do grupo, podem-se multiplicar ainda mais as ações em prol da região, o que também conta com o apoio claro da CAPES. No Encontro CAPES pela Amazônia Legal realizado na Universidade Federal do Amazonas, em novembro de 2019, foi anunciada a liberação de mais R$ 3,5 milhões para a segunda etapa do Procad Amazônia.

*A delegação foi composta por representantes das seguintes instituições: Universidade Federal do Tocantins, Universidade Federal do Oeste do Pará, Universidade do Estado do Amazonas, Universidade Federal do Acre, Universidade Federal Rural da Amazônia, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Universidade Federal do Amazonas, Universidade Federal do Maranhão, Universidade Federal de Rondônia e Universidade Federal do Pará.