O evento em Brasília reuniu membros da Rebralint de todas as regiões do Brasil, o embaixador alemão, Heiko Thoms, e o diretor do DAAD, Jochen Hellmann

Depois de mais de dois anos sem um encontro presencial, a Rede Brasil-Alemanha Internacionalização do Ensino Superior (Rebralint) teve a oportunidade de reunir parte de seus integrantes no dia 18/10/2021 em um espaço bastante simbólico: a Embaixada da Alemanha, na capital brasileira. Formada por professores universitários com grande experiência na cooperação acadêmica Brasil-Alemanha, a rede apresentou seu trabalho ao embaixador alemão, Heiko Thoms, e ao diretor do DAAD, Jochen Hellmann.

Na conversa, os membros da Rebralint detalharam as linhas de pesquisa com que estão envolvidos em suas instituições, as atividades com parceiros alemães, o papel da rede na manutenção dessas trocas e os eventos acadêmicos realizados em parceria com DAAD. O grupo foi formado por integrantes das cinco regiões do Brasil.

“O trabalho desenvolvido por esses professores impulsiona a cooperação entre nossos países. Isso foi bastante valorizado pelo embaixador Thoms, que dedicou muitas horas à conversa. Ficamos muito gratos pelo encontro”, disse Hellmann, diretor do DAAD. “É uma parte importante do papel do DAAD fomentar esse tipo de encontro. Somos mais conhecidos pela concessão de bolsas, mas trabalhamos muito pela construção e manutenção de conexões como essa. Gostamos de juntar pessoas”.

Antes do encontro presencial na embaixada, o grupo se reuniu com os demais integrantes da Rebralint em um evento híbrido para analisar as atividades (online) dos últimos dois anos, trocar experiências sobre o intercâmbio acadêmico praticado em 2020 e para planejar a agenda futura.

O trabalho da Rebralint, fundada com apoio do DAAD

Criada em 2017, a rede é fruto do apoio a iniciativas de internacionalização nas universidades brasileiras por parte do DAAD. Entre os principais objetivos da Rebralint estão a busca por facilitar o acesso aos programas de intercâmbio entre o Brasil e a Alemanha, e ampliar a divulgação de informações de forma transparente. A ideia também é trabalhar para identificar e integrar os envolvidos em alguma cooperação científica entre os dois países.

A Rebralint é formada por 34 integrantes, pesquisadores brasileiros e alemães das cinco regiões do Brasil que se destacam no desenvolvimento de seus respectivos projetos de cooperação com a Alemanha em diferentes áreas de conhecimento. Conheça melhor o trabalho do grupo e seus membros no site da Rebralint.