A chancelaria federal em Berlim

O Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) parabeniza o novo chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, suas ministras e ministros. A expectativa positiva é especialmente grande no trabalho conjunto com as novas lideranças dos ministérios federais das Relações Exteriores, da Educação e Pesquisa, e da Cooperação Econômica e Desenvolvimento.

“Felicito calorosamente Olaf Scholz pela eleição como nono chanceler da República Federal da Alemanha. Esperamos que o novo governo dê impulsos importantes para o intercâmbio acadêmico global, assim como para a cooperação científica internacional, para a internacionalização das universidades alemãs e para o fortalecimento do espaço europeu do ensino superior. Estamos animados para trabalhar com a ministra das Relações Exteriores, Annalena Baerbock, a ministra da Educação e Pesquisa, Bettina Stark-Watzinger, bem como com a ministra da Cooperação Econômica e Desenvolvimento, Svenja Schulze”, disse o presidente do DAAD, Prof. Dr. Joybrato Mukherjee.

Política científica externa
“A importância da política científica externa em tempos de crescente instabilidade internacional é enfatizada no acordo de coalizão”, apontou Mukherjee. É, portanto, positivo que as experiências e impulsos do DAAD tenham sido incorporados em diversas partes do documento. Isso aparece, por exemplo, no claro compromisso em prol da intensificação da diplomacia científica alemã e da manutenção das relações científicas mesmo com países parceiros desafiadores. Nota-se também o compromisso para garantir a liberdade de pesquisa e com a expansão de programas de proteção para estudantes e pesquisadores. “A política científica externa alemã está ganhando uma importância sem precedentes na era do antropoceno. Só podemos enfrentar os grandes desafios globais, como as mudanças climáticas causadas pela ação humana, os sistemas alimentares sustentáveis e as convulsões socioeconômicas, com base na cooperação científica internacional”, acrescentou o presidente do DAAD.

Europa em foco
O acordo de coalizão também retoma as ideias do DAAD sobre o fortalecimento sistemático da Europa como um polo da ciência no cenário global. Está incluído nesse contexto o compromisso com o Erasmus+, que é o programa de intercâmbio de maior sucesso do mundo. A iniciativa apoia o desenvolvimento de uma identidade europeia entre a geração mais jovem, bem como o fortalecimento das redes europeias de ensino superior. Além disso, o DAAD saúda enfaticamente as declarações sobre a manutenção e expansão das relações acadêmicas com o Reino Unido após o Brexit.

Fortalecimento do DAAD
O acordo de coalizão fortalece a ciência alemã em muitos aspectos relevantes, como a já anunciada reforma na Lei Federal de Fomento à Formação (BAFöG). “É claro que estamos particularmente satisfeitos que o novo governo federal pretenda fortalecer financeiramente o DAAD a longo prazo como o maior agente da política científica externa, assim como os nossos amigos da Fundação Alexander von Humboldt. O compromisso de aumentar nosso financiamento institucional em conformidade com o Pacto de Pesquisa e Inovação, ou seja, em 3% ao ano, demonstra a grande confiança do governo federal em nosso trabalho”, disse Mukherjee. “Não vamos desapontá-los”, finalizou.